Minha história (incomum) profissional

Muita gente escolhe uma profissão depois que termina o ensino médio e faz aquilo pro resto da vida. Se especializa, ganha uma tonelada de experiência e faz carreira.

Mas certas pessoas (como euzinha aqui) não conseguem ficar numa coisa só. São pessoas multitasks, com múltiplas paixões, que gostam de experimentar coisas novas e tals…

Pra ter uma ideia, minha vida profissional começou como dançarina, professora e coreógrafa de street dance, ou hip hop. Sim, fiz isso por 8 anos e amaaaaava esse trabalho! Até hoje mantenho contato com muitas das minhas lindas bailarinas.

Pra dar aulas de dança, me formei em educação física. Cheguei a trabalhar em escolas também, mas isso não era pra mim.

Paralelo à dança comecei alguma coisa na área de interpretação, morei no Rio de Janeiro, passei uns bons tempos no Projac, mas isso não me empolgou tanto. Nem o trabalho em si, nem a galera da área. Dança era o que eu amava.

Até que eu descobri um curso de Design de Interiores em Floripa. Meu olhinho brilhou, queria ser decoradora e resolvi me dedicar à isso. Me formei, fiz alguns trabalhos como autônoma, outros para um escritório de arquitetura e algumas parcerias com a minha linda amiga Daniella Souza. Ela seguiu carreira nessa área e arrasa. Aliás, sempre arrasou. Mas eu, eu mudei de ideia de novo.

Na época trabalhava pra um escritório de arquitetura famoso em Floripa e aprendi bastante sobre como gerir uma empresa nessa área. Sim, porque até então eu era autônoma, mas não tinha uma empresa formal.
Então comecei a estudar sobre negócios, a fazer cursos do SEBRAE e ler tudo que podia pra me preparar para a empreitada. Queria ter meu próprio escritório.
A questão é que, nesse processo, eu simplesmente me APAIXONEI por business e marketing. Eu não me sentia tão apaixonada desde da época da dança, então resolvi fazer faculdade de administração e começar tudo de novo, do zero.

Sério, literalmente comecei com um estágio nos Correios, depois consegui um emprego de assistente e finalmente virei analista de marketing… Eu era super nerd na faculdade, amaaaava aprender sobre quase tudo (financeiro não era meu forte, apesar do professor ser um gato). Também me envolvi na empresa júnior, na qual fui Presidente por 2 vezes seguidas e iniciei, ali, uma carreira como consultora empresarial, que eu exercia paralelamente ao meu trabalho.

Mas daí, por motivos que dariam outro post gigante, resolvi largar tudo no Brasil e vir pra Europa. Era um dos meus grandes 5 objetivos de vida.

Aqui aprendi coisas novas, experimentei coisas novas, escrevi sobre turismo para o hubpages.com/@tabalipa, publiquei na internet um passo a passo pra trazer seu cachorrinho pra Europa, fiz um projeto sobre hábitos e não parei por aqui… já estou inventando mais coisas.

Enfim… Eu gosto de ser essa metamorfose ambulante e de poder dar vazão ao que a minha curiosidade está pedindo. Talvez você goste de ter foco em uma coisa só.

Mas independente de como a gente é, tem um segredo pra gente ser feliz fazendo o que faz:

Faça com amor!

 

 

Mas me diz… você já conhecia a minha história? E como tem sido essa busca pra você? Me conta nos comentários, quero saber!

Beijos

Dani

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

Save

6 thoughts on “Minha história (incomum) profissional

  1. Conhecia uma boa parte 😉
    Parabéns e sucesso no maior projeto que você irá desenvolver na vida: a maternidade.
    E já posso te adiantar uma coisa (pois estou 2 anos na sua frente): é maravilhoso!

  2. Oi Dani! Conhecia a parte europeia, mas realmente a versatilidade e curiosidade te acompanham. Coisas novas fazem a gente sentir-se viva! A vida tem q ser sempre uma “festinha”, pra falar de empolgaçao, estimulo e vontade de estar la. Eu sou bem proxima desta vida, estou sempre mudando tudo… obrigada por compartilhar a riqueza de nao se ter necessariamente uma vida linear.

  3. A sua história é incrível – e me deixou de cara, Dani!
    Fiquei inspiradíssima quando soube de tudo isso. Muito obrigada por compartilhar com a gente essa trajetória 🙂
    E respondendo as tuas perguntas (do e-mail e do post): pensei aqui e acho que antes a minha música era “I want to break free”. Eu sempre me vi fazendo o que faço, mas não exatamente como o povo da minha área faz, daí caí em vários caminhos alternativos (tipo pós em Sociopsicologia, formação em Thetahealing…).
    Agora que eu descobri que sou uma multipotencial, mas que aplica essas coisas diversas em um único foco/tema, tô no modo “don’t stop me now, I’m having such a good time… I’m having a ball”! A cada dia, tô encontrando formas de juntar tudo isso de um jeito novo, e que me deixa muito mais feliz.
    Um beijão

    1. Amém! Que delícia ver gente assumindo a multipotencialidade num mundo onde todo mundo prega que temos que ser somente uma coisa.
      E realmente, tua postura se traduz na qualidade do teu trabalho.
      Suas músicas são ótimas! \o/
      Beijão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *